Na última sessão, dia, (14), votei contra o Projeto de lei Ordinária Nº 398/2017, do Executivo, que aplica isenções fiscais a grandes empreendimentos. Segundo estimativas da Secretaria de Finanças, esse montante deve chegar por volta de R$ 2,5 milhões ao ano.

Enquanto o governo Jonas concede regalias a alguns setores, a população que paga a conta. Com a atualização da Planta Genérica de Valores, para mais de 210 mil moradias, houve um aumento de até 30% do IPTU.

Nosso mandato luta pela realização de audiências públicas antes da votação de mudanças tributárias, como o aumento do IPTU. É necessário ouvir os anseios da população.