O senhor Guilherme Campos, ex-presidente dos Correios, usou o argumento da “economia” para justificar o fechamento de 513 agências e a demissão dos trabalhadores dos correios, prejudicando 5.300 pessoas, segundo a imprensa.
Contudo, a investigação do MPF demonstra que sua preocupação não é exatamente a economia do dinheiro público.
Na lista há agências com alto faturamento, evidenciando o desmonte do serviço público.