Já no domingo, tivemos a triste notícia de que uma estudante de medicina, recém-formada, foi morta pelo namorado, que se matou em seguida. Como se não bastasse, tivemos notícia de outro caso de violência contra a mulher, no qual a ex-namorado invadiu a casa da moça, na região de Barão Geraldo, ateando fogo na casa e em todos os seus pertences. Um absurdo! Ela e toda a sua família perderam absolutamente tudo que tinham!

Hoje, ao acordar, deparo-me com mais um caso, publicado no jornal, agora na região de Sorocaba, no qual uma mulher resolve denunciar agressões que sofria durante 11 anos. ONZE ANOS!!!! Uma mulher apanhou na frente dos filhos, pelo simples fato do ex não aceita seu novo relacionamento. Até quando continuaremos vendo casos como estes? Até quando continuaremos ouvindo que não há machismo no Brasil (e no mundo)?

É por casos como esses, que se repetem diariamente, que as mulheres precisam se organizar; que o feminismo precisa existir e que a conquista da Vara de Juizado Especializado em Violência Doméstica e Familiar é tão importante e deve ser celebrada – apesar de suas limitações, claro. É por isso que precisamos de um núcleo especializado de defensoria, e por isso que lutamos por mais vagas em casas-abrigo e por delegacia da mulher aberta 24 horas por dia, 7 dias na semana. É por isso que dizemos: mulheres, denunciem! Vocês não estão sozinhas! É por isso que não nos calamos! E não nos calarão!

Veja reportagem do portal A CidadeON.