Os trabalhadores e usuários do Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira sofrem há anos com a falta de verbas, as condições precárias de trabalho e o desmonte da rede de saúde mental do município, que já foi considerada referência para todo o país. Recentemente, a prefeitura anunciou mais um corte significativo do repasse para o convênio, colocando em risco o atendimento de qualidade aos usuários, conforme os parâmetros estabelecidos pelas diretrizes nacionais, e abrindo espaço para demissões e para desassistência. Com mais de 150 profissionais reunidos em Assembleia ontem, os Trabalhadores Cândido Ferreira farão um dia de paralisação e uma manifestação saindo do Largo do Pará às 15h e caminhando até a Câmara amanhã, dia 30, em protesto contra mais esse descaso do governo Jonas. Em solidariedade aos trabalhadores e usuários da saúde mental de Campinas, aprovamos uma moção na Câmara em apoio a essa luta e estamos organizando junto ao movimento um debate na Primeira Parte da sessão da Câmara de amanhã, dia 30, às 17h, com o tema “Corte na Saúde Mental e suas consequências para a população”.