Na fala de tribuna da última quarta-feira, dia 7 de novembro, abordei dois assuntos. O primeiro deles foi a apresentação do projeto de lei que acaba com o voto simbólico, que se torna um tipo secreto na Câmara de Campinas. Os vereadores se escondem atrás da maioria para não ter posições antipopulares expostas. Conseguimos as onze assinaturas e agora o projeto vai tramitar na Câmara Municipal.

O segundo assunto foi a apresentação da minha candidatura à presidencia da Câmara Municipal. A Câmara nunca teve uma mulher em sua presidencia nestes mais de 220 anos de história. Poucas mulheres chegaram e se eleger, sou a 15ª mulher a ocupar a vereança na cidade. Minha candidatura à presidência da Casa Legislativa está voltada ao atendimento da população de Campinas e não aos acordos da Câmara, privilegiando a transparência e a independencia do legislativo. Chega de toma lá dá cá na política em quaisquer dos espaços. Vamos ocupar a política contra os acordões e os privilégios.

Na fala de tribuna da última quarta-feira, dia 7 de novembro, abordei dois assuntos. O primeiro deles foi a apresentação do projeto de lei que acaba com o voto simbólico, que se torna um tipo secreto na Câmara de Campinas. Os vereadores se escondem atrás da maioria para não ter posições antipopulares expostas. Conseguimos as onze assinaturas e agora o projeto vai tramitar na Câmara Municipal.O segundo assunto foi a apresentação da minha candidatura à presidencia da Câmara Municipal. A Câmara nunca teve uma mulher em sua presidencia nestes mais de 220 anos de história. Poucas mulheres chegaram e se eleger, sou a 15ª mulher a ocupar a vereança na cidade. Minha candidatura à presidência da Casa Legislativa está voltada ao atendimento da população de Campinas e não aos acordos da Câmara, privilegiando a transparência e a independencia do legislativo. Chega de toma lá dá cá na política em quaisquer dos espaços. Vamos ocupar a política contra os acordões e os privilégios.

Posted by Mariana Conti on Friday, November 9, 2018