Mesmo sem participar dos debates, com um programa genérico e com anúncios desencontrados, o futuro governo Bolsonaro já sinalizava que sua missão seria atender aos interesses do capital financeiro. Está aí, a destruição da previdência social voltou para a agenda.

veja reportagem completa no valor.