A prevenção no que diz respeito à Saúde Pública, ainda é o maior dos remédios.

O Dia Nacional de Combate a Tuberculose, celebrado dia (17) de novembro é uma dessas lutas contra essa doença infectocontagiosa. De acordo com o relatório do Ministério da Saúde, em 2016, foram notificados mais de 70 mil casos, com 4,5 mil mortes.

Essa enfermidade ataca os pulmões, mas também pode afetar os ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro). Quando a doença não é tratada, o paciente pode infectar em média de 10 a 15 pessoas por ano. Há algumas condições que potencializam a transmissão, muitas delas pela ausência de políticas públicas acessíveis e integrais, como a desnutrição, péssimas condições sanitárias, pessoas em situação de rua, privadas de liberdade, como no caso de Rafael Braga, que contraiu tuberculose, quando foi preso e condenado injustamente em 2013, com produtos de limpeza e que foram caracterizados de maneira abusiva e controversa como artefatos explosivos.

Portanto, em caso de sintomas, – como tosse seca ou com secreção por mais de três semanas,  cansaço excessivo e prostração, febre baixa geralmente no período da tarde, suor noturno, falta de apetite, emagrecimento acentuado, rouquidão. Embora alguns pacientes não manifestem todos esses sintomas, a qualquer sinal referente a isso, buscar a Rede Pública de Saúde. Além de campanhas educacionais sobre formas de prevenção, também existem aquelas voltas à vacinação, como no caso da vacina BCG para as crianças.