A quem interessa uma sociedade e uma escola sem crítica?

Projetos de Lei como o Escola “Sem” Partido são uma cortina de fumaça para os reais problemas da educação brasileira.

Em Campinas, o prefeito Jonas Donizette deve estar muito satisfeito com atuação parlamentar do vereador Tenente Santini e da base aliada do governo na Câmara Municipal que acobertam os verdadeiros problemas e a situação caótica tanto da educação, quanto dos demais direitos sociais da população campineira.
Diante uma série de denuncias sobre a situação das escolas municipais – desde a falta de merenda até a falta de todos os profissionais que compões o quadro escolar (vigilantes, professores, diretores, vice-diretores, coordenadores pedagógicos) – os vereadores optam pelo silêncio e pela não crítica a esse projeto de desgoverno do prefeito Jonas, e agora, jogam fumaça nos verdadeiros problemas da educação municipal com a discussão no afogadilho do PL Escola “Sem” Partido.

Vejam, minha defesa por uma #EscolaSemCensura durante a primeira votação na última segunda-feira. Por uma escola democrática e emancipatória onde os estudantes tenham acesso a todo saber acumulado pela humanidade.

Vereadora Mariana Conti (PSOL) discute o Projeto de Lei Escola…

A quem interessa uma sociedade e uma escola sem crítica? Projetos de Lei como o Escola "Sem" Partido são uma cortina de fumaça para os reais problemas da educação brasileira. Em Campinas, o prefeito Jonas Donizette deve estar muito satisfeito com atuação parlamentar do vereador Tenente Santini e da base aliada do governo na Câmara Municipal que acobertam os verdadeiros problemas e a situação caótica tanto da educação, quanto dos demais direitos sociais da população campineira. Diante uma série de denuncias sobre a situação das escolas municipais – desde a falta de merenda até a falta de todos os profissionais que compões o quadro escolar (vigilantes, professores, diretores, vice-diretores, coordenadores pedagógicos) – os vereadores optam pelo silêncio e pela não crítica a esse projeto de desgoverno do prefeito Jonas, e agora, jogam fumaça nos verdadeiros problemas da educação municipal com a discussão no afogadilho do PL Escola "Sem" Partido. Vejam, minha defesa por uma #EscolaSemCensura durante a primeira votação na última segunda-feira. Por uma escola democrática e emancipatória onde os estudantes tenham acesso a todo saber acumulado pela humanidade.

Posted by Mariana Conti on Sunday, September 10, 2017