Ontem foi o Dia da Visibilidade Lésbica. Este dia marcou a realização do 1º Seminário Nacional de Lésbicas, que aconteceu em 1996 e discutia a violação dos direitos das lésbicas no país.

Apesar da luta por maior visibilidade, de acordo com o Dossiê sobre Lesbocídio no Brasil, houve um forte crescimento das execuções de mulheres lésbicas, 180 entre 2000 e 2017, sendo 126 entre 2014 e 2017. Além disso, segundo reportagem do Correio, as mulheres lésbicas são as que mais sofrem com o problema do desemprego e apresentam maior incidência de Câncer do Colo do Útero.

Por isso, reforçamos o apelo pelo olhar e por políticas que assegurem a vida de toda a comunidade LGTTQI. Precisamos de mais e melhores políticas públicas, tanto no que se refere à segurança, quanto às políticas de seguridade social e saúde pública!

reportagem do correio.