Vamos ocupar a ALESP! Vamos de 50100!Nesta quinta-feira, 16 de agosto, começa o período eleitoral que deve ser frutífero em debates de ideias, em construção de projeto para superar a crise econômica, social e também política que assola o país. Em 2016 fui eleita vereadora na cidade de Campinas, única mulher dos 33 vereadores que compõe o legislativo campineiro, a décima quinta em toda a história da Câmara Municipal e a mulher mais votada da história da cidade, situação que escancara a falta de representatividade feminina e feminista nos espaços de poder. Muitas das vezes, como na denuncia de nepotismo cruzado, fui a única voz a denunciar esse jogo do toma lá dá cá, o que escancara a necessidade de ocuparmos a política, com nossos corpos, com nossos sonhos, com nossos projetos e provar dia após dia que podemos fazer política para nós, para atender aos nossos interesses, para construir um projeto de nação efetivamente democrática, rejeitando os acordões, as barganhas e negociatas, combatendo os esquemas de corrupção e conquistando espaço, avançando em direitos e em construção coletiva: Não admitimos a venda dos nossos direitos!Aceitei a tarefa de conduzir um mandato como mega fone das lutas sociais e das nossas demandas, como instrumento de aglutinação. a data de hoje marca um novo passo dessa construção em que aceito a tarefa que me foi dada de ampliar os espaços de atuação e ao mesmo tempo continuar na mesma briga. Aceitei o desafio de apresentar o PSOL, de apresentar nosso programa de transformação radical desta realidade bárbara e de continuar brigando por novas conquistas na construção de um projeto de cidade, de estado e de país. Carrego comigo nesse momento a referencia de muitos lutadores e lutadoras que me antecederam, não posso deixar de lembrar, dentre outros, da figura inspiradora do grande Plínio de Arruda Sampaio e dos ensinamentos do grande mestre Florestan Fernandes: não se deixar cooptar, não se deixar liquidar e trazer vitória para o povo. E vamos juntos!!!

Posted by Mariana Conti on Thursday, August 16, 2018

Nesta quinta-feira, 16 de agosto, começa o período eleitoral que deve ser frutífero em debates de ideias, em construção de projeto para superar a crise econômica, social e também política que assola o país.

Em 2016 fui eleita vereadora na cidade de Campinas, única mulher dos 33 vereadores que compõe o legislativo campineiro, a décima quinta em toda a história da Câmara Municipal e a mulher mais votada da história da cidade, situação que escancara a falta de representatividade feminina e feminista nos espaços de poder. Muitas das vezes, como na denuncia de nepotismo cruzado, fui a única voz a denunciar esse jogo do toma lá dá cá, o que escancara a necessidade de ocuparmos a política, com nossos corpos, com nossos sonhos, com nossos projetos e provar dia após dia que podemos fazer política para nós, para atender aos nossos interesses, para construir um projeto de nação efetivamente democrática, rejeitando os acordões, as barganhas e negociatas, combatendo os esquemas de corrupção e conquistando espaço, avançando em direitos e em construção coletiva: Não admitimos a venda dos nossos direitos!

Aceitei a tarefa de conduzir um mandato como mega fone das lutas sociais e das nossas demandas, como instrumento de aglutinação. a data de hoje marca um novo passo dessa construção em que aceito a tarefa que me foi dada de ampliar os espaços de atuação e ao mesmo tempo continuar na mesma briga. Aceitei o desafio de apresentar o PSOL, de apresentar nosso programa de transformação radical desta realidade bárbara e de continuar brigando por novas conquistas na construção de um projeto de cidade, de estado e de país.

Carrego comigo nesse momento a referencia de muitos lutadores e lutadoras que me antecederam, não posso deixar de lembrar, dentre outros, da figura inspiradora do grande Plínio de Arruda Sampaio e dos ensinamentos do grande mestre Florestan Fernandes: não se deixar cooptar, não se deixar liquidar e trazer vitória para o povo.

E vamos juntos!!!