O acesso ao direito de ir e vir é um dos grandes problemas da população brasileira, seja pelos altos valores cobrados nos transportes públicos, seja pelos altos custos dos combustíveis, seja pela grande quantidade de pedágios que tomam conta de nossas estradas. Como resultado a maioria das famílias são privadas do acesso a outros direitos pela ausência de uma política pública de transporte que garanta o acesso da população.

Mais uma vez a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) anuncia um novo reajuste da passagem de ônibus de mais de 18 linhas administradas pela empresa.

A empresa alega que o reajuste será feito conforme o aumento contratual anual dos pedágios do estado. É um absurdo que, além dos reajuste anuais, a população tenha que pagar por mais uma “tarifa” acordada entre os empresários de transporte.

Enquanto os salários e os gastos com as políticas sociais estão congelados, os preços dos itens básicos só aumentam. É como sempre repetimos: crise para os de baixo e lucro para os de cima. Precisamos alterar essa lógica: transporte é direito e não mercadoria!