A luta das mães para a garantia dos direitos de seus filhos colocou novamente o corte no contrato de transporte adaptado para o contraturno escolar na pauta do dia. A prefeitura Jonas por sua vez continua trabalhando com desinformação e falsas soluções.

Na matéria abaixo, publicada na edição de hoje do Correio Popular, a prefeitura, em nota, afirma “ter reorganizado o serviço oferecido para aqueles que estudam na Rede Municipal de Ensino, tendo passado a ofertar transporte exclusivamente para alunos no turno escolar, ou seja: levados de casa para escola e da escola para casa”, isso quando muitas mães continuam sem esse atendimento.

A nota afirma ainda, segundo a matéria, que “As crianças que precisam do transporte para terapias/tratamentos de saúde fora do período de aula são atendidas pelo PAI-Serviço” – outra mentira, o PAI – Serviços atende apenas pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida, prioritariamente para os serviços de saúde e com agendamento diário e não de forma contínua, ou seja, de forma alguma atende as demandas das crianças nas atividades de contraturno.

Vale destacar que a acesso às terapias e às salas de recurso para as crianças com deficiência são pressupostos do acesso ao turno escolar regular e direito que não pode de forma alguma ser violado.

Matéria completa no link: http://correio.rac.com.br/…/545502-mp-notifica-prefeitura-p…