Não tenho palavras.

Uma travesti foi assassinada com requintes de crueldade aqui em Campinas, ela teve seu coração arrancado!

Nem mesmo diante desse horror ela teve sua identidade respeitada, teve seu nome de registro divulgado pela mídia e foi tratada como “ele”, assim ela também teve sua memória assassinada.

Falar sobre a LGBTfobia, em especial a TRANSfobia é urgente e necessário, o Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo, diariamente pessoas são agredidas, violentadas e assassinadas por sua orientação sexual ou sua identidade de gênero.