Não podemos admitir um estado de coisas que aceita a aniquilação do outro como um instrumento político válido. Minha solidariedade ao candidato à deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores, Renato Almeida Freitas Jr., covardemente agredido por guardas municipais enquanto fazia campanha no centro de Curitiba, PR.

Repudiamos a violência como forma de fazer política, repudiamos a violência institucionalizada em detrimento do debate político, da luta social e da valorização da vida. De todas as vidas, o que passa pelo incomodo e ação cotidianos e sistemático contra os números aterradores de feminicídios, o genocídio da população negra, o massacre contra lgbttqi+ e a execução de inimigos políticos.

Para combater o caos em que vivemos, precisamos veementemente, repudiar a força como forma de ação política, que apenas servirá pra impedir a luta pela sobrevivência, pela redução das desigualdades sociais, políticas e econômicas e o exercício efetivo e radical da democracia, só possível assegurando-se a participação irrestrita das pessoas na política.

E vamos continuar ocupando as ruas, as redes, propagando sonhos, vencendo medos e elaborando planos para o futuro. Venha conosco. Ocupe a política