Li e reli essa entrevista da Regina Duarte para o Estadão. É chocante a naturalização de violência de gênero, do racismo e da homofobia! A transfiguração da violência em “doçura” não é uma novidade, assim foi reescrita a nossa história. De imediato me vem na cabeça a poesia do rapper GOG na música Carta à Mãe África que diz “e o opressor ameaça recalçar as botas”.

O trecho a seguir é só para ilustrar quantos absurdos cabem em apenas uma frase.

“(…) quando conheci o Bolsonaro pessoalmente, encontrei um cara doce, um homem dos anos 1950, como meu pai, e que faz brincadeiras homofóbicas, mas é da boca pra fora, um jeito masculino que vem desde Monteiro Lobato, que chamava o brasileiro de preguiçoso e que dizia que lugar de negro é na cozinha” – Regina Duarte.

veja reportagem do estadão.