As barragens de Pedreira e Amparo, sob responsabilidade do órgão estadual DAEE, afetam o município de Campinas em diversos aspectos. O reservatório que está sendo construído abrange uma parcela do território municipal.

Em 2017, por autoria do prefeito Jonas Donizete e aprovação da maioria dos vereadores na câmara, a lei que restringia construções na região da APA de Campinas foi flexibilizada para que a barragem pudesse ser construída. Um projeto absurdo que desprotegeu matas essenciais para a recarga hídrica do município e região.

Votei contra a mudança da lei e um dos questionamentos que fiz foi exatamente a falta de um plano de segurança dessas barragens, o que põe em risco o meio ambiente e a população que vive em torno.

A argumentação da secretaria estadual sobre a caráter diferente em relação à barragem de Brumadinho esconde uma negligência, pois mesmo não sendo um reservatório de rejeitos, a apresentação de um plano de segurança é requisito para a construção e ainda não foi cumprido.

Veja o link de uma reportagem no Blog da Rose sobre o assunto.