Responsável pelo desmonte da educação pública a frente do governo do Estado de São Paulo, onde a carreira docente e o investimento em qualificação estão entre os piores do Brasil, Geraldo Alckmin, candidato à presidência, defende o fim do ensino superior gratuito.

Essa promessa de candidatura de Alckmin veio no mesmo dia em que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) anunciou a suspensão do pagamento de todas as bolsas para mestrado, doutorado e pós-doutorado em agosto de 2019, já que o teto que limita o orçamento de 2019 destinará um valor muito inferior ao necessário para a manutenção de suas atividades.

Vale ressaltar que a Capes, que fomenta a produção científica no país, vem sofrendo cortes orçamentários desde 2015. Naquele ano, o orçamento da instituição era foi de R$7,7 bilhões, sendo reduzido para 3,94 em 2018. A previsão é que, para 2019, o valor destinado à agência se caia para R$3,3 bilhões.

Enquanto isso… As desonerações previstas para 2019, no Estado de São Paulo é superior a R$23 bilhões.

É isso mesmo, enquanto a política desenvolvida pelo PSDB e seus aliados no Estado de São Paulo abre mão de arrecadar bilhões e bilhões em recursos que deveriam ser destinados às áreas sociais para fazer negociatas com dinheiro público, suas candidaturas, descaradamente utilizam da ideia falsamente propagada de que se gasta muito e de que é necessário cortes em áreas que devem ser tratadas como prioritárias.

Esse é o projeto de desgoverno de Alckmin: corte nos investimentos em áreas sociais e crise para os de baixo, ao mesmo tempo, negociatas com dinheiro público e grandes lucros para os de cima. Para evitar resistência, muita desinformação e nenhuma transparência com os gastos públicos.

Saiba mais sobre as renuncias fiscais concedidas pelo governo paulista em goo.gl/UrsnTt

Enquanto isso… As desonerações previstas para 2019, no Estado de São Paulo é superior a R$23 bilhões.

Qual projeto de educação de Geraldo Alckmin para o Brasil? Responsável pelo desmonte da educação pública a frente do governo do Estado de São Paulo, onde a carreira docente e o investimento em qualificação estão entre os piores do Brasil, Geraldo Alckmin, candidato à presidência, defende o fim do ensino superior gratuito.Essa promessa de candidatura de Alckmin veio no mesmo dia em que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) anunciou a suspensão do pagamento de todas as bolsas para mestrado, doutorado e pós-doutorado em agosto de 2019, já que o teto que limita o orçamento de 2019 destinará um valor muito inferior ao necessário para a manutenção de suas atividades. Vale ressaltar que a Capes, que fomenta a produção científica no país, vem sofrendo cortes orçamentários desde 2015. Naquele ano, o orçamento da instituição era foi de R$7,7 bilhões, sendo reduzido para 3,94 em 2018. A previsão é que, para 2019, o valor destinado à agência se caia para R$3,3 bilhões.Enquanto isso… As desonerações previstas para 2019, no Estado de São Paulo é superior a R$23 bilhões. É isso mesmo, enquanto a política desenvolvida pelo PSDB e seus aliados no Estado de São Paulo abre mão de arrecadar bilhões e bilhões em recursos que deveriam ser destinados às áreas sociais para fazer negociatas com dinheiro público, suas candidaturas, descaradamente utilizam da ideia falsamente propagada de que se gasta muito e de que é necessário cortes em áreas que devem ser tratadas como prioritárias. Esse é o projeto de desgoverno de Alckmin: corte nos investimentos em áreas sociais e crise para os de baixo, ao mesmo tempo, negociatas com dinheiro público e grandes lucros para os de cima. Para evitar resistência, muita desinformação e nenhuma transparência com os gastos públicos. Saiba mais sobre as renuncias fiscais concedidas pelo governo paulista em goo.gl/UrsnTt

Posted by Mariana Conti on Sunday, August 5, 2018