Fica evidente a pressa para aprovar o projeto de reajuste dos ministros. Tanta pressa que resulta em descuido. O presidente Michel Temer não poderia sancionar a lei sem nova apreciação pela Câmara de Deputados. Se eu fosse apostar, jogarias as fichas que a pressa é parte dos acordos de transição entre os governos.

O mandato de segurança vai ser julgado pelos próprios ministros que se beneficiariam com o reajuste. Mas a ilegalidade é evidente! Quero ver se quando é para benefício próprio os trâmites legais serão levados com rigor.

veja reportagem do UOL.