Carta aberta da vereadora Mariana Conti

O governo Jonas tem tomado medidas muito contraditórias e pouco efetivas ao lidar com os dilemas da educação durante a pandemia. Muitos de seus pronunciamentos em redes sociais prometem ações que não são cumpridas, como a entrega das cestas básicas para todos que solicitam e a compra de tablets para todos os estudantes. Falha ao não priorizar a vida, sem promover condições concretas ao isolamento social.

Na mesma semana em que Campinas atinge a marca de mais de mil mortes por covid-19, há rumores de que a Secretaria de Educação anunciará o retorno das aulas presenciais em outubro, após reunião de negociação a portas fechadas com o empresariado da educação da cidade.

As empresas privadas de educação formaram um balcão de negócios em todo Brasil pela retomada das aulas, uma vez que a paralisação tem provocado prejuízos econômicos a esses grupos. Infelizmente, o governo Jonas considera esse setor, mas não ouve os próprios educadores da rede municipal e as comunidades escolares, que têm se posicionado em reuniões e conselhos contra o retorno das aulas presenciais.

Jonas Donizette precisa assumir publicamente o compromisso de priorizar a vida!
O cancelamento do retorno às aulas presenciais em 2020 é essencial porque não há nenhum protocolo capaz de garantir segurança no ambiente escolar, como demonstrado em experiências recentes, a exemplo de Manaus.

Precisamos todos nos unir para pressionar a SME e o governo Jonas!
Estudantes, trabalhadores da educação, famílias, demais vereadores, convido a todos para nos posicionarmos publicamente contra a reabertura das escolas e pelo cancelamento das aulas presenciais em 2020.

Ano letivo se recupera, vidas não!