Apenas no ano de 2019 já foram registrados 107 casos de feminicídio. O levantamento foi feito a partir de noticiários nacionais, o que significa que este número é ainda maior.

A mesma pesquisa coloca que 55% dos casos aconteceram entre sexta-feira e domingo, exatamente quando a maioria das Delegacias de Defesa da Mulher estão fechadas.

Neste grave cenário, uma das primeiras medidas do governo de João Dória no Estado de São Paulo foi vetar Projeto de Lei aprovado na Assembleia Legislativa (ALESP) para que essas delegacias especializadas funcionem 24 horas, afinal, a violência doméstica não marca hora, mas acontece em especial durante a noite a aos finais de semana. Assim, o que se “economiza” em recursos é pago com a vida de muitas mulheres.

Vale lembrar que os feminicídios são tragédias anunciadas, ponto clímax e final e um ciclo de violência em que faltou a necessária intervenção de políticas públicas protetivas.

veja reportagem do Extra.