Vereadora Mariana Conti questiona a demissão dos profissionais do SAD – Serviços de Atendimento Domiciliar

A vereadora Mariana Conti (PSOL) questiona a demissão dos profissionais do Serviços de Atendimento Domiciliar (SAD) vinculados ao Hospital Ouro Verde em Campinas. Em fala na tribuna na sessão desta segunda-feira, 02 de setembro, e via requerimento de informação a vereadora questiona a demissão dos profissionais da saúde que realizam o Serviço de Atendimento Domiciliar na cidade desde 1993.

“O SAD atende pessoas acamadas ou restritas ao leito – entre elas pessoas com doenças crônico-degenerativas, crianças com múltiplas malformações, idosos com sequelas de fraturas, Alzheimer, entre outras, dando suporte de fisioterapia, fonoaudiologia, cuidados médicos e de enfermagem sem a necessidade de ocupação de leitos nos hospitais e, com isso sem o risco de contrair infecções hospitalares. Além disso, é extremamente importante no suporte e orientações aos cuidadores e cuidadoras, em sua maioria formada por familiares, sobretudo mulheres. Por isso, estou questionando e enviando requerimentos à Prefeitura para que explique essas demissões e como as famílias serão atendidas”, comenta a vereadora do PSOL.

A precarização desse importante serviço de saúde com demissão dos profissionais do Serviço de Atendimento Domiciliar significa mais dificuldades para pessoas acamadas de serem cuidadas, a grande maioria estando em situação de extrema vulnerabilidade. Além disso, dificulta e muito a vida dos cuidadores, seja financeiramente pois fisioterapia motora e respiratória, fora do SAD, comprometem e muito o bolso, seja psicologicamente por conta da angústia em não poder mais contar com apoio profissional e, com isso, comprometendo toda a dinâmica familiar. Segundo profissionais de saúde ouvidos pelo mandato da vereadora Mariana Conti, essa situação expõe os cuidadores ao estresse e gatilhos de transtornos mentais. Sem o SAD, a qualidade de vida das pessoas acamadas e de seus familiares cairá drasticamente e aumentará a quantidade de internações hospitalares e, com elas, todos os riscos de mortalidade e morbidade por infecções.

Além das demissões, os atuais profissionais não têm condições mínimas para seu pleno exercício profissional. Em fevereiro deste ano já houve um episódio que impactou os atendimentos do SAD Campinas. A suspensão dos serviços pela ausência de renovação de contrato de locação dos veículos que faz a locomoção dos profissionais de saúde, o que na prática paralisou o atendimento e prejudicou diretamente os usuários do serviço. As atuais condições para a realização do Serviço de Atendimento Domiciliar também são objeto de questionamento pela vereadora do PSOL.

“Acabamos de receber as denúncias de usuários do Hospital Ouro Verde sobre a absurda demissão desses profissionais, já em cumprimento de aviso prévio. A preocupação dos usuários e familiares que entraram em contato comigo mostram o quanto o Sistema de Atendimento Domiciliar, ainda que essencial a garantia da saúde básica da população, está com graves problemas estruturais que serão agravados com esse cortes de pessoal, situação que já aflige os familiares dos pacientes acamados. Esse é mais um episódio que demonstra que o prefeito Jonas Donizette é inimigo da saúde e do povo de Campinas”, declarou Mariana Conti. “Vale observar que essa decisão de demissão em massa, contraria inclusive o Plano Municipal de Saúde do Triênio 2018-2021 que prevê a ampliação de profissionais e garantia do transporte para realização dos atendimentos”.