Seis meses sem nenhuma resposta! Seis meses de impunidade. No entanto, a luta, a resistência, a memória de Marielle Franco está presente. Vereadora, negra, feminista, mulher, mãe, socióloga,LGBTI, assassinada brutalmente no dia 14 de março, juntamente com o seu motorista, Anderson Gomes.

Seis meses e nossa dor é luta, nossa dor é nenhum minuto de silêncio, é resistência e uma vida inteira de lutas, uma vida inteira semeando Marielles.

A brutalidade e barbárie presentes na execução de Marielle e Anderson não nos silencia. Marielle, semente de justiça em nossa luta diária contra a violência e o extermínio da população negra e no combate ao feminicídio.

Queremos respostas e os autores dos crimes e seus mandantes.
Nenhuma a menos. Marielle presente, hoje e sempre!