No dia 28 de março, o jornal Metro publicou reportagem com várias declarações da gestão municipal sobre a Reforma da Previdência municipal. É impressionante como o discurso oficial da gestão Jonas não condiz com a realidade!

Segundo a reportagem, o secretário de Jonas, Silvio Bernardim, e o presidente do Camprev, garantem que não haverá a fusão dos fundos. Mentira! Pois o texto da lei, no artigo 39, inciso II, apresenta textualmente que todos os atuais servidores que entraram a partir de 2004 migrarão para o fundo financeiro. O que Jonas tenta fazer é legalizar exatamente a operação que o STF proibiu. Aliás, Bernardim é o mesmo secretário citado como “facilitador” dos desvios de verba da saúde no Hospital Ouro Verde, segundo as investigações do Ministério Público.

Além disso, o presidente do Camprev, José Ferreira Campos Filho, disse que atualmente a proporção de trabalhadores aposentados e na ativa é 1 para 1. Mentira novamente! Segundo os dados divulgados pela própria gestão existem 17 mil servidores na ativa e 9 mil aposentados. A proporção dos servidores na ativa diminui simplesmente porque é opção da gestão manter cargos comissionados ilegais ao invés de abrir concurso público.