Mais um ataque aos direitos da população campineira: o fechamentos de escolas integrais para crianças entre 4 e 6 anos de idade. Já não bastasse o déficit de vagas nas escolas infantis que é de mais 5000 mil crianças na fila de espera. Agora querem retirar o período integral.

Nessa manobra quem mais perde são as crianças e as famílias. As crianças porque perdem toda a interação pedagógica e social e as famílias em virtude do tempo que dispõem para o emprego e não podem mais contar com esse direito. Além  disso, há a sobrecarga das mães, que realizam a dupla, às vezes, a tripla jornada de trabalho.

A prefeitura afirma que haverá educação infantil integral apenas nas conveniadas para essa faixa etária, que também não se sabe se contemplam toda a demanda e se proporcionam infraestrutura física e pedagógica para acolher essas crianças.

Por isso, estamos cobrando o governo Jonas para que resolva esse impasse e essa insegurança em relação ao futuro das crianças nas escolas integrais.

Para isso, há a necessidade de contratação de profissionais, a ampliação e manutenção das escolas, a construção de mais unidades no município.

Nenhum direito a menos. Educação Integral, de qualidade e acessível.