Em 1995, o Prefeito Magalhães Teixeira anulou a dívida com os servidores, extinguiu o instituto de previdência e surrupiou o saldo em caixa e o patrimônio do instituto. Jonas votou a favor do projeto. Vinte anos depois, como se não tivesse responsabilidade alguma com essa dívida, Jonas alega que o fundo financeiro do CAMPREV é deficitário para dar um novo calote nos servidores.