A legislação que proíbe os e as motoristas de cobrarem a passagem ao mesmo tempo em que dirigem estáa fixada no interior dos ônibus como se isso fosse possível com uma política que demitiu os cobradores e cobradoras e exige cumprimento de metas de horários nada razoáveis para quem está exercendo duas funções.

O que precisava estar fixado na cabeceiras dos irresponsáveis que planejam o caos na vida da população é um grande quadro apresentando direitos mínimos dos e das trabalhadoras como: “é proibido realizar duas funções e receber apenas por uma”.

Em defesa de um transporte público, acessível, que garanta o direito de ir e vir e em defesa de condições dignas de trabalho!

veja reportagem do G1.