O governo cubano estabelece convênios de prestação de serviços médicos com 66 países, inclusive europeus. Em muitos países pobres a assistência médica é bancada pelo próprio governo cubano, por razões humanitárias. Angola, Nepal, Haiti, Congo, são alguns exemplos. Assim como a assistência cubana para as vítimas do furacão Catrina e do terremoto no Paquistão. O sistema cubano de formação em medicina, bem como o sistema de saúde, são reconhecidos e premiados mundialmente. Campinas e região já sentem o impacto da decisão de saída do governo cubano do Programa Mais Médicos, devido às bravatas desrespeitosas com as quais o futuro presidente brasileiro ofende esse país. Uma situação gravíssima para um sistema já em crise.

Veja reportagem do G1.