VIVER SEM VIOLÊNCIA É DIREITO DAS MULHERES.

Efeitos da desigualdade de gênero.

A efetivação do direito de viver sem violência no dia a dia das mulheres enfrenta um forte obstáculo: a incompreensão da desigualdade de gênero e de seus efeitos, em especial, pelas autoridades públicas responsáveis pelo enfrentamento da violência contra as mulheres.

Em menos de uma semana, três casos de assédio sexual em transporte coletivo (São Paulo, Rio de Janeiro e Recife) foram denunciados por mulheres no Brasil, país que ocupa o 5° lugar no ranking de mais violento para as mulheres.

Campinas/Barão Geraldo.

Em Campinas, os índices conseguem ser piores do que a média nacional. Só no Distrito de Barão Geraldo foram registrados 18 casos de estupros em 2016 (ano em que a violência sexual foi o crime que mais cresceu na cidade de Campinas e o o segundo crime mais cometido) e agora, em 2017, 19 casos já registrados até agosto.

Por isso, compreender estes casos de assédio, abuso sexual e estupro, bem como, as demais manifestações de violência contra a mulher como frutos da desigualdade de gênero é fundamental para enfrentarmos corretamente esta realidade através da proposição de políticas que deem conta deste desafio.

Queremos uma cidade também para as mulheres.

Pensando uma cidade também para as mulheres, pensando em nosso direito de viver sem violência e pensando políticas voltadas à proteção e enfrentamento da violência contra as mulheres, temos realizado, dentre outras medidas a campanha #AcendaAsLuzesPelasMulheres para que o serviço de iluminação pública chegue a todos os cantos da cidade.
Caso queira indicar locais que precisem do serviço de iluminação pública entrem em contato com nosso mandato.

Além disso, participem das reuniões da Comissão da Mulher na Câmara Municipal de Campinas (próxima dia 21/09, às 14hrs) e da luta pela efetivação da Lei Maria da Penha e de seu desdobramento – articulação pela instalação de uma Vara de Juizado Especializado em Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher.

Contatos
marianaconti@campinas.sp.leg.br
(19) 99277-5645.

veja notícia publicada no correio popular.