Outro braço direito com suspeita de envolvimento no esquema de superfaturamento e propina em laboratórios privados.

Chama a atenção a transcrição na reportagem: segundo Daniel, havia a compreensão da gestão Jonas que o laboratório municipal não dava retorno, isto é, não gerava propina. Se isso for provado é a demonstração das denúncias que temos feito há tempos em relação ao desmonte da rede municipal de Saúde, por exemplo, ao laboratório municipal ou o fechamento da Botica da Família. Gestão Jonas optou pela terceirização para criar meios para a corrupção, para o favorecimento ilegal de políticos e empresários.

Veja mais no Blog da Rose.