Na última sessão da Câmara debatemos em primeira votação o PL 01/2018 encaminhado pela prefeitura. O projeto prevê a unificação da gestão da saúde na cidade de Campinas, criando a Rede Mário Gatti que irá gerir também o Hospital Ouro Verde, as UPAs e o SAMU.

Infelizmente esse projeto é repleto de lacunas e imprecisões que podem significar o agravamento da precariedade que os hospitais e pronto-socorros já enfrentam. A falta de medicamentos e materiais básicos, a superlotação dos leitos e fila, e a sobrecarga e precarização das condições de trabalho são problemas bem conhecidos pela população campineira.

Votamos contra esse projeto sobretudo porque ele flexibiliza a entrega da gestão da saúde à empresas privadas. O caso da Vitale no Ouro Verde e outras OS envolvidas em esquemas de corrupção demonstram que essa saída não resolve os problemas da saúde. Não podemos abrir portas para mais precarização da saúde!

#CaosNaSaúde
#CPIdaSaúdeJá
#ContraTerceirização
#DesgovernoJonas