Aberta CPI Antifascista para investigar ações de violência nazifascista e racista.

A vereadora Mariana Conti, líder do PSOL na Câmara Municipal de Campinas, conseguiu a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a escalada de ocorrências de violência nazifascista e racistas na cidade.

12 May 2022, 18:00 Tempo de leitura: 1 minuto, 54 segundos
Aberta CPI Antifascista para investigar ações de violência nazifascista e racista.

A vereadora Mariana Conti, líder do PSOL na Câmara Municipal de Campinas, conseguiu a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a escalada de ocorrências de violência nazifascista e racistas na cidade.

O documento destaca os recentes casos que aconteceram na cidade, especialmente na Unicamp, nas últimas semanas como as pichações de símbolos nazistas no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e o ataque armado a um bar em frente à moradia por um grupo de neonazistas. O texto também lembra que, além desses e outros casos recentes, há um histórico na cidade dessas ocorrências e registros por toda região, estado e país. Uma pesquisa recente feita pela antropóloga Adriana Dias apontou que as células de grupos neonazistas cresceram 270,6% no Brasil entre janeiro de 2019 e maio de 2021.

O objetivo da CPI é investigar, estudar, identificar e entender as causas para esse crescimento, colaborar e cobrar que as autoridades competentes tomem providências sobre os responsáveis sobre os ocorridos e apontar para a construção de políticas e ações de prevenção como forma de barrar o crescimento desses grupos e evitar novos recrutamentos.

“É muito preocupante a escalada de ações violentas assumidamente de cunho racista e nazi-facista pelo Brasil e na cidade de Campinas. A incitação ao ódio por parte do presidente Bolsonaro e a presença de figuras de extrema direita acomodadas no governo federal deixam a mensagem de que os crimes de ódio não serão punidos. É preciso que todas as instituições atuem para investigar, denunciar e punir essas ações de violência. A Câmara de Campinas deve tomar providências. Por isso, estou propondo às vereadoras e vereadores que façamos uma CPI para investigar o conjunto de ações de cunho nazifascista na nossa cidade. Nenhuma conivência com o nazifascismo e com racismo deve ser tolerada.” justifica a vereadora.

A próxima etapa para a abertura da CPI será o recolhimento das assinaturas de 11 vereadores, um terço dos mandatários da Casa, tarefa à qual Mariana vai se dedicar nos próximos dias. A partir do recolhimento das assinaturas necessárias a comissão pode ser instaurada e os trabalhos iniciados.