Nota da bancada do PSOL sobre adiamento da votação do Projeto de Lei sobre transparência na vacina

O projeto de lei 20/2021 da bancada do PSOL que propõe a instituição de um sistema de transparência para o rastreamento de doses de vacina contra a covid-19 e para a identificação da população vacinada no município de Campinas, estava pautado para ser votado em segundo turno (votação definitiva) na sessão legislativa realizada nesta manhã […]

7 Apr 2021, 19:38 Tempo de leitura: 1 minuto, 22 segundos
Nota da bancada do PSOL sobre adiamento da votação do Projeto de Lei sobre transparência na vacina

O projeto de lei 20/2021 da bancada do PSOL que propõe a instituição de um sistema de transparência para o rastreamento de doses de vacina contra a covid-19 e para a identificação da população vacinada no município de Campinas, estava pautado para ser votado em segundo turno (votação definitiva) na sessão legislativa realizada nesta manhã desta quarta-feira, dia 7. Lembramos que o projeto já foi aprovado em primeiro turno, quanto a legalidade, por unanimidade da Câmara Municipal.

Para garantir sua aprovação e sansão pelo Prefeito e visando viabilizar a plena implementação da lei, nossa bancada tem procurado manter diálogo com a Secretaria Municipal de Saúde e profissionais da saúde para possíveis ajustes técnicos no projeto.

Assim, diante o agendamento de uma reunião para a próxima sexta-feira, dia 9, com representantes da administração municipal e do compromisso assumido pelo vereador líder do governo na Câmara para a votação do projeto, optamos pelo adiamento da votação nesta sessão para discussão dos possíveis ajustes.

Reforçamos a necessidade da importância da aprovação do projeto o mais breve possível, que se torna cada vez mais necessário diante dos crescentes casos de tentativas de burla à fila da vacinação e fraudes, agravadas agora pela lamentável posição da Câmara dos Deputados que aprovou a autorização para as empresas privadas comprar vacinas, num contexto de escassez, o que abre caminho para privilégios e o fura-fila de quem pode pagar em detrimento da população mais exposta à doença.