O resultado das eleições de 2018 trouxeram muitas incertezas quanto ao cenário geral da política e as ameaças que pairam sobre nossos direitos.

A eleição do governo Bolsonaro, um sujeito autoritário, que despreza os direitos sociais e está alinhado ao grandes interesses econômicos nos coloca a necessidade de organização para a resistência, para defender os serviços públicos, os direitos dos trabalhadores, das mulheres, negras e negros e LGBTs. A “saída” apontada por eles, de mais privatização, menos direitos […]

14 Nov 2018, 11:25 Tempo de leitura: 0 minutos, 47 segundos
O resultado das eleições de 2018 trouxeram muitas incertezas quanto ao cenário geral da política e as ameaças que pairam sobre nossos direitos.

A eleição do governo Bolsonaro, um sujeito autoritário, que despreza os direitos sociais e está alinhado ao grandes interesses econômicos nos coloca a necessidade de organização para a resistência, para defender os serviços públicos, os direitos dos trabalhadores, das mulheres, negras e negros e LGBTs.

A “saída” apontada por eles, de mais privatização, menos direitos e mais violência nos leva a caminhar em passos acelerados para o caos social.

Todos esses ataques não virão sem resistência, mesmo durante o processo eleitoral a grande mobilização das mulheres pelo #elenão já deu o recado, ele enfrentará muita resistência popular.

Também o aumento das bancadas do PSOL nos coloca novas trincheiras.

Convidamos todas e todos, militantes, filiados e simpatizantes do PSOL para vir debater conosco e construir conjuntamente uma alternativa à esquerda contra o autoritarismo, a violência e a retirada dos nossos direitos.